Modelo Plus Size Roberto Labate


Da série modelos plus size masculinos, hoje vamos apresentar para vocês o Roberto Labate, ele atua como modelo GG desde 2010. Ele tem 34 anos, mora em São Paulo e é casado com a linda blogueira Alinne Rosa. Ele serve de inspiração e referência para muitos outros meninos que estão iniciando a carreira de modelo plus size. Podemos dizer que o Roberto é uns dos primeiros modelos masculinos de destaque.




Mesmo sendo modelo de várias grifes famosas e grandes lojas do mercado plus size, ele nos contou que modelar não é a sua principal renda.

Segue a entrevista na íntegra.
MC = Madame's Curves pergunta.
RL = Roberto Labate responde... 

MC - Como surgiu a oportunidade de virar modelo plus size?
RL - Acabou sendo meio por acaso, minha esposa, Alinne Rosa, insistiu muito para leva-la em uma loja da Kauê, que na época estava fazendo um concurso chamado "Garota Kauê". Chegando lá a fotógrafa, Katia Ricomini, me viu de longe e logo veio falar comigo, perguntou se podia tirar uma foto minha e se eu tinha interesse em ser modelo plus size. Nunca tinha me passado pelo cabeça, gordo e modelo, como assim?! rs…
Logo fui convidado pela Kauê para participar de um desfile da marca, foi meu primeiro contato com esse mercado. Um tempo depois já estava fotografando os catálogos e acabei não parando mais.
No final, minha esposa tinha imaginado tudo, por isso ela queria muito que eu fosse, ela tinha certeza que se alguém da loja me visse, iriam gostar de mim. Não é que deu certo?! rs...




MC - Já sofreu algum preconceito por ser gordinho? E por se modelo plus size? Você sempre se aceitou gordinho?
RL - Eu confesso que nunca senti preconceito por ser gordo, isso está na forma de ver e entender as coisas. Sou gordinho desde criança e, na minha época, não tinha esse papo de bullying, todo mundo se "zuava" e isso era normal, não importava se fosse gordo, alto, baixo, feio, dentuço, cabeçudo, orelhudo ou qualquer outra coisa, a gente se divertia, rs… E se rolasse uma briga boba, 10 minutos depois já estávamos juntos e jogando bola.
Por ser modelo plus size também nunca senti preconceito, pelo menos não na minha frente, mas sempre tem alguem que fala pelas costas, não é mesmo? Os meus amigos de verdade, família, sempre apoiaram, acham bacana, se interessam e acabam conhecendo mais sobre esse mundinho plus size.
Agora, aceitação, já algo mais complicado... rs
Talvez quando mais novo, por não achar uma roupa bacana ou não ser o descolado da escola (e que fique claro, não considero isso preconceito), nessa época aceitação era algo mais complicado. Hoje eu me aceito sim, sou gordo, sou profissional, trabalho com o que gosto, tenho uma família presente, uma esposa maravilhosa, uma filha linda a caminho (papai ansioso!) e tudo isso gera aceitação, não é mesmo?! Aceitação, no meu caso, é um conjunto de ações que me fazem bem.
Agora não é porque eu me aceito que adoro ser gordo, isso seria hipocrisia! Eu sou gordo, feliz e me aceito? Sim! Me sentiria melhor se fosse magro? Talvez! Que gordo (e que atire a primeira pedra) nunca pensou em ser magro?! Hoje eu me preocupo demais com a saúde e isso, incondicionalmente, está ligado a perda de peso. Não quer dizer que serei magro, apenas que a luta com a balança é e sempre será constante.




MC - Quais são os trabalhos que já realizou e realiza freqüentemente como modelo?
RL - Bom, eu atuo como modelo plus size desde 2010, já participei de campanhas para grandes marcas como Marisa, Pernambucanas, Besni, Torra Torra, Malwee, Ludender, Cambos, Kauê Plus Size, Umen, Hermes, Atualitá Polos, KLA Jeans entre algumas marcas do Brás e Bom Retiro, bairros com bastantes confecções aqui em São Paulo. Participei de quatro edições do Fashion Weekend Plus Size - FWPS, maior evento de moda plus size do país, sendo um dos primeiros homens a desfilar no evento.







MC - Quais são as suas perspectivas em relação a sua carreira de modelo plus size e referente ao crescimento do mercado GG?
RL - Eu brinco que estou ficando velho, hoje temos uma moçada bacana trabalhando como modelo plus size, é sinal que o segmento vem crescendo e as marcas, mesmo que devagar, começaram a investir nesse mercado GG. E me sinto muito feliz quando essa moçada me cita como referência no segmento, isso é uma realização! Mas o titio aqui está em forma (redonda) e trabalhando a todo vapor, rs…
Também acho que o público feminino é mais privilegiado, pois existem muitas marcas, de diferentes estilos e em maior quantidade, no masculino, são poucas, infelizmente. 





MC - Qual sua opinião sobre as confecções masculinas dentro do segmento plus size? Me fala a sua visão como consumidor e como modelo?
RL - A grande maioria ainda está engatinhando, tem muito chão pela frente. Hoje eu só vejo uma marca se destacando, que sempre investiu e colhe os frutos de um ótimo trabalho, a Kauê Plus Size. E não é porque comecei trabalhando com eles que falo isso, é realmente minha opinião, falo como cliente que há anos acompanho a marca.



MC - Você tem alguma dificuldade ou gostaria de melhorar algo?
RL - Tenho dificuldade em emagrecer! Hahahahaha, clichê demais não?!
Eu gostaria de melhorar o meu marketing pessoal, mesmo estando há anos na área, tem muita gente que acompanha o segmento plus size e não me conhece. Talvez pela falta de tempo, afinal, tenho que trabalhar, ser modelo não paga minhas contas.





MC - Você vive só da renda de modelo ou tem outra profissão?
RL - Como citei na resposta acima, ser modelo não paga minha contas.
Os cachês ainda são baixos e os trabalhos esporádicos, geralmente em época de troca de coleção. As vezes o pessoal me pergunta porque não estou fazendo uma campanha aqui ou outra ali, a resposta é simples, eu tento me valorizar e acabo recusando trabalhos em que o cachê é muito baixo.
Eu sou empresário, trabalho com uma plataforma para lojas virtuais, a Braavo! E-Commerce. O fato de ter meu próprio negócio ajuda muito na carreira como modelo, pois consigo ter mais flexibilidade com os horários.





MC - Quais são as suas inspirações e referências no segmento plus size?
RL - Na verdade sempre que busco referências não são necessariamente no segmento plus size, pesquiso muito sobre poses e composições de looks em sites gringos, o Google taí pra isso gente, independentemente se é um modelo magro ou gordo, no meu ponto de vista, o resultado é o mesmo.



MC - Como é o assédio das mulheres? Elas te paqueram mais por você ser gordinho e modelo?
RL - Na verdade o assédio é maior pelas gordinhas, o fato de ser modelo influencia nisso, as vezes eu tento ser legal, dar atenção e isso é interpretado de forma errada, sempre tem uma ou outra que passa do ponto e já corto logo. Se eu não aceito a solicitação de amizade ou não respondo uma mensagem, sou o metido que se acha, é difícil agradar.






MC - Sua esposa te apóia e lida bem com o assédio das mulheres?
RL - Bom, eu entrei nisso por causa dela, então ela me apóia sim e muito!
Como toda mulher ela é um pouco ciumenta, mas na medida certa, sem exageros. As vezes me da um bronca ou outra, quer saber quem é essa ou aquela que curtiu uma foto, acho que faz parte, o importante é o respeito, acima de tudo.




MC - O que você diria para os homens que também querem iniciar a carreira de modelo? Ou que querem fazer um ensaio, mas ainda tem vergonha?
RL - Você quer ser modelo plus size? É só ser gordo, estar alguns manequins acima ou ter um rosto bonitinho?! Bom, não é bem assim!
Estude o mercado, entenda como funciona, conheça as marcas e, principalmente, tenha bom senso para saber se você tem perfil.
Claro que é preciso começar de alguma forma e fazer um book é o primeiro passo, jogue a vergonha de lado e invista em você!

Uma vez eu li uma frase que era mais ou menos assim: "Um homem de sucesso é aquele que cria uma parede com os tijolos que jogaram nele." Então amigão, corra atrás dos seus sonhos.


Adoramos a entrevista do Roberto, super descontraída e autêntica! Papo reto e direto... gostamos de conversas assim, achamos que fica uma papo gostoso e de faço entendimento. E vocês gostaram?

E mais uma vez grifes masculinas, estamos de olho e somos exigentes, por favor, queremos mais investimento e mais divulgações com os modelos masculinos.

Beijos Plus!
Alice Primo
#SomosPlusMadames

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário